Viveiro Jorge Pelles

O Viveiro Jorge Pelles do Jardim Botânico de Brasília, tem como objetivo estudar, manter e produzir plantas nativas e exóticas, auxiliando em projetos de recuperação de áreas degradadas, neutralização de carbono e estudos para a manutenção de coleções científicas assim como realizar diversos experimentos e pesquisas, visando obter a tecnologia ideal para a produção dessas mudas. 

O Viveiro está estruturado para cumprir todas as etapas de produção de mudas  de espécies nativas e exóticas. Este trabalho sistemático compreende: a coleta de sementes, o beneficiamento e quebra de dormência, o armazenamento, a semeadura, a repicagem, o controle fitossanitário, a adubação, o controle de qualidade de mudas e a irrigação.

No ano de 2015, foi realizado um estudo e elaborado um projeto de arquitetura para melhorar a infra-estrutura do Viveiro, visando a produção de 200.000 (duzentas mil) mudas de espécies nativas anuais.  Neste mesmo período, o JBB celebrou um convênio com a Terracap-DF, no valor de R$ 932.015,72 ( novecentos e trinta  e dois mil e quinze reais e setenta e dois centavos) com o  objetivo  de  reformar, revitalizar, ampliar e operacionalizar o Viveiro Jorge Pelles.

O nome do Viveiro é uma homenagem a Jorge Pelles. Funcionário da extinta Fundação Zoobotânica, criada para administrar o Zoológico e o Jardim Botânico de Brasília,  por sua dedicação e trabalho na implantação da Estação Ecológica de Águas Emendadas.

Viveiro DSC05702 DSCF0008 DSCF0040