Estação Ecológica – EEJBB

A Estação Ecológica Jardim Botânico de Brasília – EEJBB foi criada com a finalidade de promover a conservação de espécies nativas do Bioma Cerrado. A gestão da EEJBB é competência da equipe técnica do Jardim Botânico de Brasília – JBB, que desenvolve atividades científicas voltadas para a identificação da flora e da fauna do Cerrado, com vistas à conservação genética, como também ações de Educação Ambiental junto às comunidades do entorno.

Atualmente, na área da Estação Ecológica estão representados os mais diversos tipos de vegetação, que abrigam grande diversidade de plantas e de animais, alguns deles ameaçados de extinção. A Estação Ecológica Jardim Botânico de Brasília também abriga mananciais que abastecem 25% de toda a região do Lago Sul, incluindo o Lago Paranoá. Em função deste importante recurso, abriga uma unidade de tratamento de água da CAESB.

O Jardim Botânico de Brasília nasceu com 526 hectares, que foram ampliados para 4.518 hectares pelo decreto Nº 10.994 de nove de abril de 1987. Em 1990, propôs-se a criação da Estação Ecológica na área anexada ao JBB em 1987. A EEJBB foi criada pelo Decreto Nº 14.422 de 26 de novembro de 1992 e ampliada pelo Decreto nº 17.277 em 1996.

Apesar de sua importância, a EEJBB sofre intensa pressão antrópica por conta da ocupação de seu entorno imediato. Várias ações de proteção vêm sendo desenvolvidas pela equipe gestora do JBB, especialmente no tocante ao combate à incêndios florestais.

A EEJBB, juntamente com a Reserva Ecológica do IBGE e a Fazenda Água Limpa da Universidade de Brasília, integram a Zona de Vida Silvestre da Área de Proteção Ambiental Gama Cabeça de Veado e a Área Núcleo da Reserva da Biosfera do Cerrado, um mosaico de Unidades de Conservação que possibilita a proteção ambiental da região.

O Plano de Manejo da EEJBB foi financiado com recursos do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, dentro do Programa de Saneamento Básico no Distrito Federal, gerenciado pela Secretaria de Estado de Obras do Distrito Federal, elaborado pelo Consórcio GeoLógica/Ecotech, finalizado em março de 2009.

O documento tem como finalidade apresentar a Unidade de Conservação para o público em geral, divulgando seus atributos naturais, condições de conservação da flora e da fauna da região, atividades em desenvolvimento, como também as propostas de manejo para a manutenção e perpetuidade dos atributos naturais da Estação.